Hemipênis, o órgão reprodutor dos répteis squamatas


Uma das principais aquisições evolucionária que levou os “répteis” a conquistar o ambiente terrestre foi o ovo amniótico. Contudo, para a produção deste ovo foi necessário que a fecundação do ovócito pelo espermatozoide ocorresse no interior do corpo das fêmeas. Neste caso o desenvolvimento de um órgão copulador nos machos foi uma grande solução.

Hemipênis de Plesiodipsas perijanensis Fonte: Harvey et al. Herpetological Monographs 22: 06-132. 2008


Os crocodilianos e os testudíneos possuem somente um pênis constituído de tecido conjuntivo esponjoso que fica ereto em função da pressão vascular. Nestes casos ele possui semelhança estrutural e provavelmente compartilha de mesma origem embrionária do pênis dos mamíferos.

Entretanto, nos squamatas (anfisbenas, lagartos e serpentes) são encontrados órgãos copulatórios pareados, localizados na junção da base da cauda com a cloaca. Inicialmente acreditava-se que ambas estruturas seriam introduzidas simultaneamente na cloaca das fêmeas, daí a denominação hemipênis (hemi que no grego significa meio, metade). Contudo, sabe-se atualmente que apenas um hemipênis é evertido e usado durante a cópula.

Os hemipênis correspondem a dobras de tecido, como os dedos de uma luva, que são evertidas através de aberturas por pressão vascular, após o uso eles são recolhidos pela ação de músculos. Em muitos squamatas o hemipênis é dotado de espinhos que podem ajudar na transferência de esperma para dentro da cloaca da fêmea, em alguns casos esta estrutura pode ser bifurcada. Variações nestas características são importantes para o estudo da taxonomia dos squamatas. Por exemplo, sabe-se que os hemipênis encontrados nos squamatas não possuem a mesma origem embrionária que o pênis dos crocodilianos e testudíneos. Assim essas estruturas são mais uma evidência de que os squamatas tem mais características comuns entre si do que com os crocodilianos ou testudíneos, colocando-os em um grupo a parte.

Bibliografia:
POUGH, F. H. A vida dos vertebrados. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 1999

ZUG, G. R., VITT, L. J., and CALDWELL, J. P. Herpetology: An introductory biology of amphibians and reptiles (2a. ed.), Academic Press. Estados Unidos. 2001.

VEJA TAMBÉM:
»Curiosidades: Sobre o hemipênis, o órgão reprodutor dos machos das serpentes

2 Respostas

  1. olá, esse site me ajudou bastante… mas acho que poderia ter mais conteúdo explicando o assunto!
    achei o maximo disponibilizarem a referência bibliográfica, nesse mundo acadêmico nada de informação sem referência e válido!

    • É bom saber que o blog tenha-lhe ajudado. Anotamos a sugestão de postarmos mais conteúdos sobre o assunto! Agradecemos a visita e volte sempre!

      Att,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: