Viviparidade em lagartos: tem novidade na área!


Embora a maioria dos lagartos se reproduza por oviparidade, a viviparidade não é um fenômeno tão raro entre estes animais. A reprodução vivípara evoluiu diversas vezes entre os répteis escamados (lagartos e serpentes), gerando uma diversidade de estágios de retenção e nutrição de embriões pelo corpo materno. Tal diversidade faz dos lagartos modelos de estudo ideais para o estudo da viviparidade, na tentativa de se esclarecer como este fenômeno evoluiu nos mamíferos e nos demais vertebrados (Blackburn, 2006).

A viviparidade em lagartos sempre esteve diretamente associada a um grupo de lagartos, os scincídeos (Família Scincidae), entre os quais se incluem espécies ocorrentes no Brasil, como os “calangos-lisos” do gênero Mabuya.

Até pouco tempo, os lagartos do gênero Mabuya eram tidos como os que apresentavam os mais altos graus de viviparidade, incluindo a presença de placentas complexas, elevadas taxas de transferência de nutrientes da mãe para os embriões e longo  período de gestação, entre 9 e 12 meses (Vitt & Blackburn, 1991).

Copeoglossum_nigropunctatum_DanielPassos

Figura 1. Indivíduo de Mabuya nigropunctata. Fotografia de Daniel Passos.

Entretanto, em 2011, foi descoberto um novo ícone entre os lagartos vivíparos. O pequeno lagarto africano Trachylepis ivensi, extremamente raro e pouco estudado, atualmente é considerado um caso extremo de especialização placentária, diferindo de todos os tipos de viviparidade até então conhecidos para os répteis (Blackburn & Flemming, 2011).

O mais recente mecanismo de viviparidade em lagartos destaca-se por apresentar alto grau de associação entre placenta e embrião, com contato direto entre os tecidos embrionários e a rede de vasos sanguíneos maternos, o que confere um suprimento nutricional do embrião totalmente dependente da mãe.

Esta recente descoberta foi publicada em setembro de 2011 na revista Journal of Morphology e pode ser acessada em detalhes no link a seguir (Viviparidade em Trachylepis ivensi).

Por: Daniel Passos, membro do NUROF-UFC

 

5 Respostas

  1. show..blog cada vez mais irado!

  2. Obrigado pelo elogio Hernandes.
    Isso nos empolga cada vez mais!

  3. Gostei do texto! Muito bom isso de já postar o link para o artigo!

  4. […] o estado de saúde de fêmeas e filhotes de lagartos vivíparos da família Scincidae (Veja: Viviparidade em lagartos: tem novidade na área!) que passaram pelas condições de estresse devido à escassez de alimento e compararam com os […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: