Mimetismo de escorpiões por lagartos?


Lagartos podem ser presas de diversos predadores, incluindo invertebrados, serpentes, aves e mamíferos (Pianka and Vitt, 2003), bem como outros lagartos (Zanchi et al, 2012). Deste modo, é esperado que eles apresentem estratégias defensivas que intensifiquem sua sobrevivência durante o encontro com predadores (Rand, 1967).

Figura 1. Indivíduo adulto de Gymnodactylus geckoides. Fotografia de Daniel Passos.

O comportamento de curvar a cauda sobre o dorso é uma estratégia utilizada por alguns lagartos para reduzir as pressões da predação. Há duas hipóteses para a ocorrência deste comportamento: 1. A postura adotada pelo lagarto permitiria maior exposição da cauda para potenciais predadores, distraindo sua atenção de regiões mais vitais do corpo e favorecendo a ocorrência de autotomia caudal; e 2. A postura se configuraria como mimética a modelos de escorpiões (o mimetismo ocorre quando uma espécie possui características que evoluíram especificamente para se assemelhar com as de outra espécie), aos moldes do mimetismo batesiano, no qual indivíduos palatáveis (aceitáveis, agradáveis ao paladar) e/ou inofensivos se assemelham a modelos impalatáveis e/ou nocivos (Pianka and Vitt, 2003).

Evidências de estratégias defensivas em que lagartos possivelmente mimetizam escorpiões são sugeridas por alguns estudos. Há registros entre os gecos Coleonyx variegatus (Parker and Pianka, 1974), Teratoscincus roborowskii (Autumn and Han, 1989) e, no Brasil, há evidências deste comportamento para Gymnodactylus carvalhoi (Colli et all, 2003), Coleodactylus brachystoma (Brandão e Motta, 2005) e Gonatodes humeralis (Costa et all, 2009).

Figura 2. Detalhe da coloração ventral da cauda de Gymnodactylus geckoides, com padrão de listras transversais brancas e pretas. Fotografia de Daniel Passos.

Recentemente, a equipe do NUROF-UFC registrou a ocorrência deste comportamento para outra espécie de lagarto brasileiro, Gymnodactylus geckoides, uma lagartixa da Caatinga (Passos et al, 2012). Durante a exibição do comportamento, o lagarto curva sua cauda sobre o dorso do corpo, expondo o padrão de coloração ventral que consiste em listras transversais brancas e pretas intercaladas.

Alguns fatores observados no estudo reforçaram a hipótese de que este comportamento representa um mimetismo de escorpiões por G. geckoides: 1. A postura adotada pelo lagarto se assemelha à posição defensiva de escorpiões; 2. Lagarto e escorpiões simpátricos apresentam tamanhos corpóreos similares; 3. A coloração ventral da cauda do lagarto lembra o padrão de coloração intercalado do metassoma (pós-abdômen) de alguns escorpiões; 4. Existe uma elevada abundância de escorpiões vivendo sintopicamente (nos mesmos micro-habitats) com o lagarto; e 5. O lagarto compartilha o mesmo período de atividade diária dos escorpiões.

Figura 3. Indivíduo adulto de Gymnodactylus geckoides exibindo o comportamento defensivo.

Embora a hipótese da exposição da cauda para predadores não possa ser desconsiderada, os resultados encontrados no estudo corroboram com os registros deste comportamento para outras espécies, fortalecendo a possibilidade de ocorrência de mimetismo de escorpiões entre lagartos e reforçando a ocorrência deste comportamento na linhagem Gekkota, uma vez que este comportamento já foi descrito para pelo menos três famílias de lagartos (Gekkonidae, Sphaerodactylidae e Phyllodactylidae).

Esta foi mais uma contribuição à herpetologia brasileira realizada pela equipe de biólogos do Núcleo Regional de Ofiologia da Universidade Federal do Ceará. O trabalho original pode ser adquirido na íntegra através do site http://www.ssarherps.org/pages/HRinfo.php.

Por: Daniel Passos, membro do NUROF-UFC

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

AUTUMN, K., HAN, B. 1989. Mimicry of scorpions byjuvenile lizards, Teratoscincus roborowskii(Gekkonidae). Chinese Herpetological Research, 2: 60-64.

BRANDÃO, R., MOTTA, P.C. 2005. Circumstancial evidences for mimicry of scorpions by the neotropical gecko  Coleodactylus brachistoma(Squamata, Gekkonidae) in the Cerrados of central Brazil. Phyllomedusa, 4: 139-145.

COLLI, G. R.; MESQUITA, D. O.; RODRIGUES, P. V. V.,KITAYAMA K. 2003. Ecology of the Gecko  Gymnodactylus geckoides amaraliin a Neotropical Savana. Journal of Herpetology, 4: 694-706.

COSTA H. C.; SÃO PEDRO, V.A., SANTANA, D.J., FEIO, R.N. 2009. Gonatodes humeralis (NCN) Defensive behavior. Herpetological Review, 40: 221.

PARKER, W. S., PIANKA, E.R. 1974. Further ecological observations on the western banded gecko, Coleonyx variegatus. Copeia, 1974: 528-531.

PASSOS, D.C.; MESQUITA, P.C.M. de; BORGES-NOJOSA, D.M. 2012. Gymnodactylus geckoides. Defensive behavior. Herpetological Review, 43:486-487.

PIANKA, E. R., VITT, L.J. 2003. Lizards. Windows  to the Evolution of Diversity. Berkeley, University of California Press.

RAND, A. S. 1967. Predator-prey interactions and  the evolution of aspect diversity. Atlas do Simpósio sobre a Biota Amazônica.Zoologia, 5: 73-83.

ZANCHI, D.; PASSOS, D.C.; BORGES-NOJOSA, D.M. 2012. Tropidurus hispidus (calango). Saurophagy. Herpetological Review, 43: 141-142.

4 Respostas

  1. Comportamento muito interessante e incomum de lagartos. Excelente registro. Parabéns!

  2. A equipe Nurof nas Nuvens agradece sua visita e opinião Gabriel!!!
    Muito obrigado!

  3. Parabéns pelo trabalho! Mas na minha opinião essa hipótese do mimetismo de escorpiões por lagartos é meio forçação de barra. Muitos gecos fazem esse comportamento de elevar a cauda (eu mesmo ja precenciei em G. geckoides, H. mabouia e P. pollicaris), e ao meu ver a hipótese de exposição da cauda a predadores faz muito mais sentido, uma vez que os gecos autotomizam a cauda muito facilmente como meio de defesa.

    • Raul, realmente esta é apenas um hipótese, com premissas que ainda não foram testadas por desenhos experimentais adequados. Ainda há muito o que se conhecer sobre este comportamento. Entretanto, trabalhos que avaliem sistematicamente este fenômeno são inexistentes e as opiniões em defesa de uma ou outra hipótese, geralmente (com exceção desse trabalho de G. geckoides) são fundamentalmente destituídas de argumentação científica.

      A equipe do NUROF-UFC está atualmente se debruçando sobre isso na tentativa de esclarecer mais convincentemente as causas, funções e mecanismos deste comportamento. Uma dos resultados preliminares mais interessantes (que adianto aqui em primeira mão) são que a frequência e a intensidade de autotomia da população de G. geckoides estudada é menor do que a esperada e encontrada para outras espécies de geckos e inclusive outras populações da espécie. Mas vamos esperar para ver a conclusão dos estudos!

      Muito obrigado por sua opinião e volte sempre! A participação de pesquisadores é muito estimada pela equipe Nurof nas Nuvens.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: