A maior lagartixa das Caatingas, Phyllopezus periosus

Nós já apresentamos ao caro leitor, em contribuições anteriores, várias curiosidades sobre as lagartixas (relembre em: A bribinha da Caatinga), inclusive citando algumas informações sobre a “Briba” Phyllopezus periosus (veja em: As lagartixas e suas peculiaridades), espécie que iremos conhecer em mais detalhes nesta postagem.

Phyllopezus periosus (jovem)

Figura 01. Indivíduo jovem de Phyllopezus periosus. Fotografia de Daniel Passos.

Esta lagartixa é endêmica da Caatinga, ocorrendo em remanescentes de vegetação pouco impactada (áreas relictuais) no Nordeste do Brasil, com distribuição abrangendo os estados de Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte (Rodrigues, 1986; Freire et al., 2000; Rodrigues, 2003; Roberto & Brito, 2004).

Phyllopezus periosus

Figura 02. Indivíduo adulto de Phyllopezus periosus. Fotografia de Daniel Passos.

Embora esta espécie tenha sido descrita há mais de 25 anos (Rodrigues, 1986), somente nos últimos anos foram descobertas informações detalhadas sobre a biologia de Phyllopezus periosus (Figura 1 e 2). Em 2011, a equipe do NUROF-UFC registrou a ocorrência de desovas comunais para a espécie, contribuindo para o conhecimento de suas estratégias reprodutivas (Lima et al., 2011). Mais recentemente, outra pesquisa ecológica revelou que estes lagartos são estritamente noturnos, iniciando suas atividades logo após o anoitecer e permanecendo ativos até quase o nascer do sol (Passos et al., 2013). Quanto ao uso do habitat, foi descoberto que a espécie pode ser encontrada predominantemente em substratos rochosos, principalmente na superfície e em fendas de afloramentos de rocha, localmente denominados “lajedos”. Além disso, esta pesquisa demonstrou que Phyllopezus periosus, é tão grande quanto o geco amazônico Thecadactylus rapicauda. Portanto, ambas as espécies constituem as duas maiores lagartixas conhecidas até o momento no Brasil, podendo alcançar cerca de 25 cm de comprimento total.

Por: Daniel Passos, membro do NUROF-UFC

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

FREIRE, E. M. X.; R. N. FEIO & POMBAL JR. J. P. 2000. Phyllopezus periosus. Geographical distribution. Herpetological Review, 31: 54.

LIMA, D. C.; PASSOS, D. C. & BORGES-NOJOSA, D. M. 2011. Communal nests of Phyllopezus periosus, an endemic gecko of the Caatinga of northeastern Brazil.  Salamandra, 47: 227-228.

PASSOS, D. C.; ZANCHI, D. & ROCHA, C. F. D. 2013. Basking in shadows and climbing in the darkness: microhabitat use, daily activity and thermal ecology of the gecko Phyllopezus periosus Rodrigues, 1986. Herpetozoa, 25: 171-174.

ROBERTO, I. J. & BRITO P. T. P. 2004. Phyllopezus periosus. Geographical distribution. Herpetological Review, 35: 409.

RODRIGUES, M. T. 1986. Uma nova espécie do gênero Phyllopezus de Cabaceiras, Paraíba, Brasil, com comentários sobre a fauna de lagartos da área. Papéis Avulsos de Zoologia, 36: 237–250.

RODRIGUES, M. T. 2003. Herpetofauna da Caatinga, pp. 181–236. In: Leal, I. R.; Tabarelli, M. & Silva J. M. C. (eds.). Ecologia e Conservação da Caatinga. Recife, Universidade Federal de Pernambuco.

Anúncios
%d bloggers like this: