Seguindo a mamãe: Cuidado parental em anfíbios


Alguns grupos de animais podem fazer uso de estratégias para facilitar a chegada dos filhotes à vida adulta. Tal comportamento é denominado de cuidado parental. Esta estratégia é definida como qualquer forma de comportamento realizado pelos pais e que aumentam as chances de sobrevivência dos filhotes (Vaz-Ferreira & Gehrau, 1971; Clutton-Brock, 1991; Alcock, 1993; Cheng & kam, 2010).

Figura 01. Indivíduo de Leptodactylus pustulatus próximo a grupo de girinos. Fotografia de Déborah Praciano de Castro.

Figura 01. Indivíduo de Leptodactylus pustulatus próximo a grupo de girinos. Fotografia de Déborah Praciano de Castro.

Pelo menos 7% das espécies de anuros apresentam alguma forma de cuidado parental (Wells, 1981), sendo os mais conhecidos à assistência à desova, cuidado com as larvas, transporte de ovos e larvas e alimentação das larvas (Crump, 1995). O comportamento parental pode ainda estar relacionado à defesa contra predadores, e pode ser executado pelo pai, pela mãe ou por ambos os genitores (Beck, 1998; Santos & Amorim, 2006). No entanto, nem tudo são flores, anuros que realizam cuidado parental, por apresentarem um gasto energético acentuado nesta atividade, precisam decidir entre diminuir o número de filhotes a cada desova, ou diminuir o investimento em proles futuras (Trivers, 1972).

Uma das famílias de anfíbios que exibem este comportamento frequentemente é Leptodactylidae (Heyer, 1994). Anfíbios deste grupo também utilizam outros comportamentos associados ao cuidado parental, entre eles podem ser citados a formação de grupos de girinos. Tais grupos podem conter mais de 2000 girinos facilmente, e estes são guiados pela mãe (ou pai) na procura de poças onde o risco de predação seja menor (Downie, 1996). Enquanto os girinos seguem em sua jornada pelas poças, eles podem tocar a mãe frequentemente, o que chamamos de comportamento etepimelético, sugerido como uma forma de comunicação entre a larva e o genitor (Santos & Amorim, 2006).

Aqui, apresentamos dois exemplos de espécies da família Leptodactylidae que exibem comportamento de cuidado parental e costumam guiar grupos de girinos: Leptodactylus pustulatus (Figura 01) e Leptodactylus macrosternum (Figura 02).

Leptodactylus macrosternum (Figura 02- Castro et al., 2013)

Figura 02. Indivíduo de Leptodactylus macrosternum junto á grupo de girinos. Fotografia de Déborah Praciano de Castro.

Por: Déborah Praciano de Castro, membro do NUROF-UFC

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ALCOCK, J. Animal Behavior: an Evolutionary Approach. 5ª Ed. Sinauer Associates. 1993

BECK, C. W. Mode of fertilization and parental care in anurans. Animal Behaviour. 55: 439-449. 1998.

CASTRO, D. P.; BORGES-LEITE, M. J.; LIMA, D. C.; BORGES-NOJOSA, D.M. Parental care in two species of Leptodactylus Fitzinger, 1826 (Anura, Leptodactylidae) in north- eastern Brazil. 6: 267-269. 2013.

CHENG, W. C. & KAM, Y. C. Paternal Care and Egg Survivorship in a Low Nest-Attendance Rhacophorid Frog. Zoological Studies. 49(3): 304-310. 2010.

CLUTTON-BROCK, T.H. 1991. The evolution of parental care. Princeton, NJ: Princeton Univ. Press.

CRUMP, M. Parental Care. In: HEATWOLE, H. & SULLIVAN, B. K. Amphibian Biology. Surrey Beatty. 519-522. 1995.

DOWNIE, J. R. A new example of female parental behaviour in Leptodactylus validus, a frog of the leptodactylid “melanonotus” species group.  Herpetological Journal. 6: 32-34. 1996.

HEYER, R. Variation within the Leptodactylus podicipinus- wagneri complex of frog (Amphibia, Leptodactylidae).  Smithsonian Contributions to Zoology. 546: 1-124. 1994.

SANTOS, E. M. & AMORIM, F. O. Cuidado parental em Leptodactylus natalensis (Amphibia, Anura, Leptodactylidae). Iheringia, Série Zoologia. 96 (4): 491-494. 2006.

TRIVERS, R. L.  Parental investiment and sexual selection. In: CAMPBELL, B. G. ed. Sexual Selections and the Descent of man. Chicago, Aldine. 136-179. 1972.

VAZ-FERREIRA, R. & GEHRAU, A. Agrupaciones y comportamento social de renacuajos de L. ocellatus (L.). Resúm. V Congresso Latinoamericano de Zoologia. 12-13. 1971.

WELLS, K. D. Parental behavior of male and female frogs.  In: ALEXANDER, R. D. & TINKLE, D. W. eds. Natural Selection and Social Behavior: Recent Research and New Theory. New York, Chiron Press. 184-197. 1981.

Anúncios

2 Respostas

  1. […] do NUROF-UFC: Seguindo a mamãe: Cuidado parental em anfíbios Déborah Praciano de Castro, membro do […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: