Os venenos das serpentes e seus efeitos


Existem muitos tipos diferentes de venenos, no entanto, eles podem ser dispostos em três categorias, a dos que afetam o sangue, a dos que afetam os tecidos e a dos que afetam o sistema nervoso.

Coral verdadeira, possui veneno de ação neurotóxica.

Coral verdadeira, possui veneno de ação neurotóxica.

Uma mesma serpente pode produzir mais de um tipo de veneno. Comparando indivíduos de uma mesma espécie pode haver variações entre quantidades totais de veneno e de cada tipo de veneno, pois fatores como área de vida, dieta e idade do indivíduo interferem nessa produção.

Abaixo estão listados os venenos das serpentes e seus respectivos efeitos no corpo humano.

  • Neurotóxicos: Afetam o sistema nervoso causando inicialmente paralisia dos músculos faciais. Em alguns casos nos músculos responsáveis pela deglutição e respiração, podendo assim, causar asfixia e consequente morte.
  • Coagulantes: Aglutinando o sangue podem causar obstrução de veias e artérias. Casos mais sérios, como os de coágulos cerebrais ou pulmonares, levam à morte.
  • Anticoagulantes: Impedem o sangue de coagular, fazendo o ferimento causado pela serpente sangrar continuamente.
  • Hemorrágicos: Torna os vasos sanguíneos permeáveis ao sangue, causando hemorragias internas e externas, levando ao sangramento das gengivas e narinas. Em quadros mais agravados, as vítimas podem apresentar hemorragias cerebrais e a falência dos rins, levando-as à morte.
  • Hemotóxicos: Também conhecidos como hemolíticos, destroem as hemácias, causando falência renal e uma possível insuficiência respiratória.
  • Miotóxicos: Causam danos aos músculos, especialmente aos relacionados à respiração. Por meio de paralisia da função neuromuscular, similar aos efeitos dos venenos neurotóxicos, causam a morte por falência renal, cardíaca ou respiratória.
  • Proteolíticos: Também conhecidos como citotóxicos ou necrotóxicos, destroem os tecidos levando à necrose, resultado da ação das enzimas digestivas presentes no veneno, que ajudam na digestão da presa.
  • Nefrotóxicos: Causam dano diretamente aos rins.
  • Sarafotóxicos: Veneno presente apenas em algumas serpentes africanas. Promove a constrição da artéria coronária, dificultando a circulação sanguínea, podendo causar um ataque cardíaco.

Os gêneros das principais serpentes peçonhentas brasileiras são Bothrops e Bothrocophias, popularmente conhecidas como Jararacas, Crotalus, popularmente conhecidas como Cascavéis, Micrurus conhecidas como Corais Verdadeiras ou Cobras-Coral e Lachesis, conhecida como Surucucu ou Pico de Jaca.

Bothrops Bothrocophias: Possuem venenos dos tipos proteolítico, coagulante e hemorrágico.

Crotalus: Venenos dos tipos miotóxico, neurotóxico e coagulante.

Micrurus: Neurotóxico.

Lachesis: Proteolítico, coagulante, hemorrágico e neurotóxico.

Referência

Mark O’Shea, 2008, Venomous Snakes of the World.

Paulo Sérgio Bernarde, Saymon de Alburqueque, Luiz Carlos Batista Turci, 2012 , Serpentes Peçonhentas e Acidentes Ofídicos em Rondônia.

Thorpe R. S., W Wuster and A. Malthora (eds.), 1997, Venomouns Snakes: Ecology, Evolution and Snikebite. Zoological Society of London.

Texto por Klaus Marques

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: